O drama do cabideiro…

Nos últimos tempos tenho perdido peso e medidas, e vejo que meu guarda-roupa está beirando o ridículo, com camisas que vão precisar ser amarradas nas costas daqui a pouco para não parecer lona de circo em mim e calças que parecem vela de barco.

Porém, uma das coisas que não gosto é comprar roupa. E dizer que não gosto é pouco, eu odeio de coração.

E o engraçado é que quase tudo gira em torno do vendedor. O primeiro ataque é quando você entra na loja e ele solta o “posso ajudar?”, respondido pelo infalível “estou só vendo”. Isso quando ele já não parte para o fight quando você está apenas vendo a vitrine.

Existe um inferno particular para aqueles vendedores que, ao ouvirem um “estou só vendo, obrigado” te seguem pela loja e ficam apontando itens da loja que podem te interessar. “Parece que o senhor gostou dessa camisa. É 100% algodão…”, etc. etc. e vai”. Sério, é como ter no meu ombro uma TV sintonizada no Shop Tour o tempo todo.

Aí eu acho algo que valha experimentar. O cenário aqui se divide em 2:

Primeiro, pode não ter o tamanho que você quer. Perceba que eu disse “tamanho que você quer“, porque é isso que o vendedor acha, que você escolhe um tamanho G ao invés de usar um tamanho G. E lá vem ele do estoque com todas as variantes de tamanho, dizendo que “o M deve ficar muito bom no senhor”. Sim, só se eu usar de cachecol…

Segundo, tem o seu tamanho. Oba! Para o provador! Lá, o vendedor, que parece que precisa de uma distração enquanto você vê se aquela peça vai ficar legal, começa a revirar o estoque em busca de um monte de peças que você VAI ADORAR.

Então você está lá experimentando a calça, e o cara joga um bolo de 12 calças diferentes por cima da porta. Quando você fala que não quer ver outra calça, ele já correu para o estoque para buscar mais. E quem vai correr atreás do vendedor no meio da loja, pelado ou vestindo as calças no tornozelo?

No final, você chega a esquecer qual você ia comprar. E claro, é MEGADIVERTIDO trocar de roupa 12 vezes em um provador 1x1m². Sensacional.

E não pense que você vai sair com a calça do provador. Nãããããão, tem o cinto que você TEM que ver, o sapato, a camisa que combina…

Enfim, você persevera e vai para o caixa. Aí começa a aritimética do pagamento.

Vai pagar à vista? 5% de desconto, mas apenas nas peças que estão na promoção (que nunca são indicadas em nenhum lugar), o resto você parcela em 4 vezes, mas com um acréscimo se for no cartão de crédito, mas um desconto com mais parcelas se você fizer o cartão da loja.

O resultado disso é uma conta que não diz quanto você está pagando em cada coisa e ainda te deixa incerto do valor das parcelas. É como ir no restaurante e no cardápio estar escrito “preços a combinar após a refeição”.

No fim, você sai da loja sem saber se comprou o que queria, se está pagando o que queria gastar e com aquela estúpida sensação falsa de que no final das contas foi a melhor compra.

E claro: não aceitamos trocas aos sábados.

Anúncios

2 thoughts on “O drama do cabideiro…

  1. O pior mesmo é quando você está tão sem paciência e acaba levando algum ítem que ele te empurra e quando chega em casa você percebe que não gostou daquilo. 😀

    PS: Estava há um tempão sem vir aqui e seu blog está animal. Parabéns

  2. Nossa, comprar roupas é o inferno na terra.
    No caso feminino ainda tem um agravante: não existe para vender NADA diferente daquilo q é tendencia – e q só fica bonito na Kate Moss.
    Argh!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s