O poder do acaso

(Vou dedicar esse texto ao Doug, que foi o primeiro a lê-lo ontem, e um cara para quem eu recentemente tenho dito muitas das coisas aqui. Acredito que ele tem praticado algumas delas. Vai lá garoto! 😛 )

Para começo de conversa, não sei no que você acredita. Jesus, Buda, a Grande Abóbora, pouco importa. Mas o que eu acredito é que existe algum magnetismo no mundo que cria situações inesperadas e bem ou mal vindas que não possuem lógica nenhuma. Esse é o acaso.

Muitos de nós se recusam a acreditar que para tudo existe um motivo. É fato que o cérebro humano é programado para simplificar qualquer coincidência que aconteça nas nossas vidas. Ou seja, somos nós que procuramos as ligações, e não elas que necessariamente acontecem. Essa é uma das grandes bases do pensamento que nega a religião, por exemplo: Deus seria a sua forma de entender de maneira fácil porque o mundo é mundo.

Mas, ainda assim, eu acredito que existe um componente de motivo para as coisas acontecerem: certas cadeias de eventos, por mais que nós mesmos criemos as ligações, ainda são obras-primas de relações humanas.

Pensa bem: você pode tomar uma decisão e dela sair um resultado direto. Ok. Agora, imagina que esta decisão impulsiona vários eventos que no final geram o resultado que você queria. E isso é xadrez, só que tudo está contra você: você não conhece as peças, não consegue ver o tabuleiro inteiro e ainda joga contra um adversário que não possui lógica nenhumna nos movimentos, mas controla todas as peças e vê o tabuleiro inteiro. Esse é o acaso.

Jogar contra o acaso exige um comprometimento com sempre fazer a coisa certa. Exige você ser seguro de você mesmo. Exige você ser você mesmo. Ou seja: envolve você jogar com as peças que estão à sua mão e no pedaço de tabuleiro que você consegue enxergar. A nossa desvantagem em relação ao acaso é apenas de visão, mas é a estratégia que ganha. O comprometimento triunfa. Sempre.

Eu aprendi nos últimos tempos a viver a vida de peito aberto, encarar tudo com vontade e deixar o acaso se quebrar com suas jogadas confusas. Eu cansei de esconder, cansei de não usar o coração na ponta da chuteira. E quero acreditar que isso foi para o melhor, visto que o acaso vem me surpreendendo positivamente nos últimos tempos.

De nada vale viver se você não vive pra valer. Frase extremamente babaca, certamente eu estou copiando ela de alguém, mas que carrega toneladas de verdade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s