Os Simpsons – O Filme

Os Simpsons – O Filme mata enfim uma ansiedade que dura anos entre os fãs, desde a primeira notícia sobre a possibilidade de um filme até hoje. O sentimento que filme deixa em mim é de “poderia ser melhor, poderia ser pior”.

simpsonsmovieposter1.jpgTive a oportunidade de assistir uma premiere do filme, da maneira que Deus queria que as premieres fossem: baixando o filme da internet. Como vou ver no cinema de qualquer jeito, a consciência não dói.

O filme está sendo alardeado como “um episódio maior” dos Simpsons, e tendo a concordar com isso. Apesar da idéia central em si ser grandiosa, a aplicação e o desenvolvimento são bem característicos de um episódio regular da família.

Isso chega a despertar uma certa frustração, pois as expectativas são muito altas. Mas estamos falando de uma série de TV; quão grandioso você pode ser sem afetar a série regular?

Incomoda um pouco o tema na primeira metade girar em torno de um desastre ambiental: fica aquele gosto de “já fizeram isso antes”. Quando parece que o filme vai ter uma trama central e várias paralelas (Lisa e Colin, Bart / Flanders / Homer), a central ocupa o filme todo, deixando as outras meio no ar ou com conclusões muito bruscas (como a da subtrama de Lisa).

Contudo, nesta segunda metade o filme sai do simples tema ambiental e se torna uma aventura mais ao gosto de quem acompanha a série regularmente.

Um ponto bem grande vai para a qualidade da animação. Lembrando muito a co-irmã “Futurama” em alguns momentos, a animação usa e abusa do travelling e das cenas cheias de elementos, tornando o filme bonito até mesmo no computador. Imagine no cinema…

Outra coisa que pontua muito bem o filme são as sacadas rápidas e a referências externas. Os primeiros 3 minutos de filme valem o ingresso, com o filme Comichão e Coçadinha e a introdução do Homer no cinema. As referências a outros episódios são extremamente bem-vindas, especialmente (e nessa eu me arrepiei) a referência ao episódio Bart the Daredevil.

O elenco de apoio é…como posso dizer…mal explorado. Ok, praticamente todos aparecem, mas quase sempre como grupo, nunca com seus momentos individuais. Entendo as restrições de ter que se fazer um filme em 75 minutos, mas a trama poderia ter sido construída para beneficiar pelo menos os mais marcantes (Moe, Sr. Burns, Flanders, Milhouse…).

Valeu, entretanto, a bela referência a alguns deles no início do filme, com uma versão alterada da seqüência de abertura do episódio.

Enfim, até parece que não gostei do filme, o que é mentira. O filme é excelente, divertido e como episódio seria uma dos melhores da carreira da série. Todas as pequenas decepções vêm mais da expectativa alta sobre o filme do que dele ser ruim per se. Assistam no cinema (ou achem o filme nos pardieiros virtuais) e tirem a prova.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s