O dia que roubaram o gol

Alguém roubou o gol.

Foi o que um malandro lá na arquibancada gritou.

Até o cara da numerada parou de xingar o técnico e olhou para o campo. Cadê o gol?

A rede balançou, o jogador comemorou, beijou a aliança, mostrou a camiseta “mãe te amo” por baixo da camisa, balançou o nenê, mas o zero do placar permaneceu.

Quem roubou o gol?

Só pode ter sido o juiz. Mas esse correu para o centro do campo.

E o bandeirinha? O técnico pensou  que bandeirinha é tudo uma merda mesmo, juiz frustrado. Devia estar lá, parado com a bandeira levantada.

Mas nada. Lá estava ele, no meio do campo também. 

E o zero lá, redondinho, intocado no placar do estádio.

O vendedor de amendoim chutou: vai ver foi um argentino. Vai um amendoim aí?

Argentino? Parece coisa de argentino mesmo, tem algum no estádio? Aí, o povo se oriçou, falando de inveja que os hermanos tem do nosso futebol, que eles são espírito de porco suficiente para fazer isso, etc.

Mas não tinha argentino.

Lá na numerada, um outro arriscou que era coisa de dirigente. Estão acabando com o futebol, eles exploram o jogador, tiram toda a graça do esporte e agora tinham roubado até o gol.

Pode?

A teoria do dirigente fez sucesso, até porque vários estavam presentes. Um até no banco, cutucando aquele técnico que ele contratou “com plenos poderes”; o principal deles era o poder da obediência, claro. 

Mas aí deu problema: o filho de um desses dirigentes (daquele que cutuca o treinador) estava na numerada e não gostou da insinuação. Claro, um dia o clube vai ser dele (sabe não? Futebol no Brasil é monárquico!), aí resolveu decidir a pendenga no braço.

Começou a briga na numerada. Daí para a arquibancada foi um pulo. O senhor na arquibancada dizia que a culpa do gol ter sumido é a violência nos estádios, que tem gente que só vai para brigar e o futebol sai perdendo.

Levou uma bordoada de dirigente de organizada e a teoria ficou por isso mesmo.

Enquanto o pau comia solto, Gino comia maçã na sombra da centenária macieira do lado de fora do estádio. Gino lembrou que tinha que mudar o zero do placar por causa do gol, mas o dia tava tão bonito…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s