Este post foi dublado. Aperte a tecla SAP do seu browser para ler a versão original.

Semana passada, o canal a cabo Fox anunciou que toda sua programação será dublada, substituindo a legendada que tomava conta de quase todos seus seriados e filmes. Para quem acompanha o canal, não é novidade, uma vez que o espaço para dublagens foi ficando cada vez maior. Agora a situação foi escancarada, causando revolta de vários telespectadores do canal. Enfim: quem está certo?

Há muito tempo atrás, antes do advento da TV a cabo, a TV brasileira era feita de uma série de programas estrangeiros, pois não havia know how ou até mesmo condições de produção para preencher uma programação com material original. Nessa esteira vieram os sitcoms, as séries dramáticas, as novelas mexicanas, os filmes americanos, entre outros.

Considerando este panorama, a profissão de dublador virou uma carreira altamente profissionalizada, e diversos dubladores ficaram famosos mesmo sem ninguém conhecê-los. Comprei há alguns dias atrás o DVD do filme Curtindo a Vida Adoidado e até agora não consegui ver o filme na versão original. Por que? A voz do dublador ficou tão impressa na minha memória, que AQUELA é a voz do Ferris para mim.

Porém, o tempo passou e a gente se acostumou ao legendado. A molecada hoje em dia até faz legenda para episódio de Lost baixado da internet. Mas porque o “retrocesso” (sem conotação pejorativa) da Fox? Afinal, dublagem é consideravelmente mais cara (é um tradutor que escreve legendas versus um cast de dubladores e o tradutor) e mais trabalhosa, apesar de especialistas dizerem ser capazes de dublar um episódio de 1 hora de um seriado em 25 horas.

Vale pensar em duas correntes de raciocínio: primeiro, o poder de pressão da categoria. Profissão de dublador no Brasil é regulamentada e sindicalizada. Logo, a classe pode apertar mais e bem, inclusive no sentido de aumentar a (para usar o bom economês) reserva de mercado.

Exemplos de mobilização não faltam: a primeira greve de dubladores aconteceu em 1977, e após a greve, os dubladores montaram cooperativas independentes, até com o apoio de emissoras como o SBT. Em 1997, nova greve, com quase 100% de adesão que chegou até a cancelar programas da época.

O segundo item a ser levado em consideração é a universalidade da dublagem. Tem gente que não gosta de ler legenda, tem gente que não lê legenda tão bem (idoso e mais jovens), tem gente que acha que ler legenda distrai de ver a ação na tela, tem de tudo. Considerando que espantosamente não é tanta gente que sabe inglês bem o suficiente para não ter que ler todas as palavras na tela, é um argumento forte.

A segunda teoria é fortemente sustentada pela Fox, especialmente na nota oficial divulgada pela emissora. Mas, como tudo em terra brasilis, tem caroço nesse angu. A reação dos telespectadores foi a pior possível, e a Fox voltou atrás mas com um pé na frente: disse tratar-se de um teste para verificar a aceitação dos telespectadores, e que estes devem encaminhar sua insatisfação para a emissora. A reação, de novo, foi a pior possível, especialmente no forum oficial da Fox. Mas a Fox não arredou o pé. Estou assistindo agora um novo episódio de 24 Horas, ainda dublado.

O tal caroço no angu, a cereja na teoria da conspiração mora em uma pequena notícia que nem gerou muita repercussão há um tempo atrás: no dia 19/04/2007, o jornal O Globo noticiou a vitória da Associação Nacional dos Artistas de Dublagem (Anad) no Ministério do Trabalho contra a The Walt Disney Company.

A ANAD alega que a empresa do Mickey estaria fazendo contratos leoninos com os dubladores, pagando apenas pelo serviço de dublagem e daí dispondo das vozes dos dubladores em DVDs e outras revendas das quais os dubladores não teriam parte. A Disney não se fez de rogada: trocou toda a equipe de dubladores do seriado Lost, um dos estopins da briga. A dublagem saiu de SP para o RJ para não voltar mais, o que gerou revolta entre os fãs da série.

E a Fox com isso? Veja você, a mesma matéria diz (o grifo é meu):

Algumas distribuidoras, como a Imagem e a Fox, fecharam acordos com a Anad para o pagamento dos direitos conexos. A associação chegou até a entrar na Justiça com um processo contra a Fox, mas a ação foi removida depois que um protocolo de intenções foi assinado entre as duas partes.

Segundo a Fox, este protocolo de intenções apenas especifica que os dubladores receberão pela utilização das vozes em outras mídias. Então para que um protocolo de intenções? Por que não um segundo contrato? Segundo a Fox:

— Não pagávamos direitos para outras mídias porque os estúdios de dublagem não aceitavam assinar contratos. Assim, entendíamos que estávamos negociando um serviço completo para qualquer mídia — explica Elie Wahba, vice-presidente da divisão de televisão da FOX do Brasil. — O que ocorreu agora foi que os dubladores entraram com uma ação sem conversar com a gente. Quando soubemos, entramos em contato e concordamos em pagar um acréscimo caso a dublagem fosse reproduzida em outro lugar.

O gozado é que não ter contrato nunca impediu a Fox de contratar dubladores antes. O fato da Fox mudar toda sua grade de legendada para dublada praticamente 2 meses após este embroglio leva a uma conclusão bem verossímel: o protocolo era cheio de boas intenções com os dubladores.

Enfim, nem Jack Bauer conseguiu derrubar o poder dos dubladores canarinhos, e a Fox ratificou sua decisão, justificando que está entrando em contato com as operadoras de TV a cabo para disponibilizar, além do SAP que já existe, a opção de legendas.

Mas, se a experiência nos ensina algo, vai ser preciso alguém entrar na justiça para a emissora trabalhar.

Observações finais:

Anúncios

4 thoughts on “Este post foi dublado. Aperte a tecla SAP do seu browser para ler a versão original.

  1. Bom, também gostaria de parabenizá-lo pelo texto.
    Em certo ponto, concordo que o público da Fox é composto por vários segmentos de idades e por isso a dublagem se faz necessária.
    Entretanto, percebo que uma grande parte dos espectadores se mostrou insatisfeita com a decisão. No meu caso, praticamente parei de assistir os seriados da Fox depois que passaram a ser dublados. Acho que toda a graça e clima das séries é passado pela voz original dos personagens. Casos como “Os Simpsons”, “Uma família da pesada” e outros da Fox que já têm vozes consagradas não nos deixam esquecer de fiascos de dublagem como seriados clássicos transmitidos por outras emissoras como “Friends” e “My Wife and Kids”. Estas perderam totalmente a graça com a dublagem em português.
    Fica minha opinião aberta para discussões.

  2. Lucas,

    E mesmo aqueles com as vozes consagradas perdem muito do brilho qdo temos os contatos com a versão original.

    O dublador do Homer é excelente, mas o texto perde muito na tradução, especialmente em piadas muito específicas (que fazem sentido em inglês) e na adaptação para o lip-sync, reduzindo frases para encaixar o português (língua com poucas abreviações) no movimento labial do inglês (língua com muitas abreviações).

    Enfim, em um mundo onde uma criança com mais de 10 anos sabe mais de Windows que eu, acho que o dublado é que deveria ser uma segunda opção, e não o legendado.

  3. Se gostam de versão original aprendam o ingles e usem a tecla sap , a fox oferece isto , alias todas as tv a cabo deveria serem dubladas e quem quiser versão original aprendam ingles e use a tecla SAP, creio o fox fez certo , se esta em um pais que fale a lingua dele , eu que falta de respeito da outras não programação em português.

    A fox esta de parabens por começar a oferecer produções locais, se gostam tanto de inglês, por que não se mudam para um pais de lingua britanica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s