Sexta-feira 13 : instrumento da Igreja Católica?

(Nota: as pessoas sempre pedem para eu por no papel essa dissertação. Sempre resisti, por nunca achar que o que escrevo vai ficar à altura da minha explicação “ao vivo”. Mas de qualquer maneira, vamos nós).

 

 

Eu sou famoso por vez em quando levantar algumas hipóteses e teses esdrúxulas, mais notadamente a Conspiração dos Cigarrinhos de Chocolate da Pan e a legalização da prostituição; não me odeiem só porque eu tenho uma cabeça ociosa.

 

 

Mas em minhas incansáveis andanças pelo mundo, buscando o que o Cara não quer que você saiba, descobri mais uma manipulação, uma conspiração, uma alienação da qual você, leitor sabidão, é vítima. E dessa vez não parei nos barões da indústria, indo mais alto na cadeia de mentiras: a autora desse crime contra a liberdade e pensamento é a Igreja Católica Apostólica Romana!!!

 

Você já assistiu o filme Sexta-feira 13, certo? Pode até achar uma droga hoje em dia, mas já assistiu. São 347 filmes sobre Jason Voorhes, garoto que aparentemente morreu em um lago no acampamento Crystal Lake, mas voltou como um monstro imortal, que assassina todos os jovens que calham de acampar no pedaço. E como eles acampam…

 

Jason prepara-se para queimar literatura herege enquanto espera o próximo grupo de pecadores em Crystal Lake.

Segundo o que pude levantar de pergaminhos amarelados do Vaticano, o filme é um embuste para disseminar a mensagem da Igreja aos jovens!!! Sim, um instrumento de catecismo em formato cinematográfico!!! Estaria louco? Sim. Sou um doente? Certamente. Mas nada disso vem ao caso, e sim os fatos, duros e frios como o Jason quando sai do lago pela 134ª vez. Vamos a eles, para entender as teorias:

 

1. Dezenas de jovens vêm acampar ao mesmo tempo em Crystal Lake. Nunca é um casal ou dois, e sim dezenas de jovens.

 

2. No grupo, sempre existem 3 tipos de personagens:

 

.: Os maconheiros festeiros: esses vão viajar apenas para viajar. Fumariam a grama se ela desse barato. Passam o filme todo decidindo entre dançar com Jack Daniels ou passear com Johnny Walker. Vivem lamentando não poder ter um orifício para fumar e outro para beber, tendo que satisfazer um vício por vez.

 

.: Os casais com os hormônios a 1000: esses são loucos por sexo. É como se tivessem saído da prisão direto para Crystal Lake. Mal saem do furgão (aquele que nunca pega quando o Jason começa a matar), já estão com as calças abaixadas. Proporcionam para pré-adolescentes os momentos mais, digamos, instigantes do filme.

 

.: A virgem: ninguém sabe como ela foi parar no meio da excursão. Geralmente é a amiga mal amada de uma das trepadeiras do grupo. Ninguém dá em cima dela (detalhe importante), e ela nunca entra na dança da bebida, da cannabis ou da suruba. É bonitinha, mas não atrente, tampouco vagabunda. Guarde isso. Em alguns momentos, a virgem está acompanhada de um garoto de seus 12, 13 anos, ainda intocado pelas tentações do álcool e do sexo. Guarde isso também.

 

 

A Teoria

Jason, na mensagem catequisadora do filme, é o Mal encarnado, o coisa ruim, representante direto do cramulhão. A virgem representa o prêmio que advém da pureza, e as dezenas de mortos são os pecadores, segundo a visão da Igreja católica. Vamos dar substância à teoria. Porque um grupo de jovens como vítimas principais? Oras, é o público principal do filme e da mensagem catequisadora.

 

Agora, porque não mostrar a morte de um grupo de idosos do Asilo Santa Genoveva, que param no acampamento para respirar um ar puro durante uma excursão? Por que o jovem no cinema iria querer se identificar com um personagem que em instantes vai ser pendurado pelo intestino grosso em uma árvore? Simples, porque os jovens são público-alvo dessa panfletagem católica em forma de película. A Igreja quer pressionar a sua mensagem, fazendo os moleques nas cadeiras se verem no filme. Sigam comigo.

 

Transou antes do casamento? Azar!!!

Ao iniciar a matança, percebam que os primeiros a morrer se encaixam nos grupos A e B do item 2: o casal insaciável morre atravessado por uma lança enquanto estão grudados um no outro, ou o Jason pega um no banheiro (pós-sexo), enquanto pega a outra na cama, ou mata um na surpresa no meio do bosque e bota o outro para correr no mato (só pra se divertir, sádico desgraçado) entre diversas variáveis.

Os fumetas beberrões morrem também, geralmente sem dificuldade alguma, uma vez que estão entorpecidos. Os que ficam despertos o suficiente para correr se enquadram naquele tipo de morte onde o Jason deixa o cara correr só para fazer um pouco de exercício. Percebam que Jason não corre, anda. Enquanto a futura vítima se acaba de tanto correr.

 

Oras, se o Jason é o Mal, para que correr? A Igreja aqui transmite a idéia de que é impossível fugir de seus pecados: não importa o quanto você corra, ou o quanto bom de briga você é, você vai pagar pelos seus pecados. E feio. Então, azar o seu se você insiste em sexo sem proteção antes do casamento ou em consumir substâncias entorpecentes.

 

 

E a virgem?

Cuidado Jason, é a virgem!!!

Ora, a virgem…ela nunca morre. Ela é a que sobra. Pior, ela “mata” Jason. Como pode ela e seus braços de galinha podem triunfar onde tantos mais capacitados fisicamente falham? Simples: ela não sucumbiu à tentação. Durante o filme, ela recusou sexo (até porque ninguém quis colar nela), cachaça e erva. Manteve a pureza tão pedida pela Igreja ao seu rebanho, especialmente o jovem. E por isso não sucumbiu ao Mal.

 

No final do filme, ela (junto com os ideais católicos) triunfa, por vezes auxiliada pela criança (símbolo-mor de pureza). Triunfa, mas não para sempre. Jason volta no próximo filme, sempre atraído pelo novo grupo de jovens pecadores que visita Crystal Lake. O que tiramos disso, e o que a Igreja quer que você conclua? O Mal nunca morre!!! Mesmo a virgem deve se vigiar, pois se ela cair em tentação, Jason não a perdoa. Por pior que seja sua derrota, ele sempre existirá enquanto houver pecado, irmão!!!

 

 

Resumindo

O filme pode ser analisado sob 3 dogmas católicos:

 

 

1. Aqueles que se deviam do dogma sofrem grandes castigos;

 

2. Apenas a pureza e o respeito às Leis Divinas garantirá que você seja intocado pelo mal;

 

3. O mal nunca morre; logo, a pureza deve ser sempre mantida.

 

Daí, concluímos que Sexta-feira 13 é um instrumento de propaganda católica. Nem Padre Marcelo consegue formatar uma mensagem tão popular aos jovens.

 

 

Fatos Interessantes

.: Em Sexta-feira 13 Parte IV, o que pretensamente seria o último capítulo (o subtítulo era “The Final Chapter”), Jason é derrotado pela virgem e por um garoto. O menino raspa a cabeça para se parecer com o garoto Jason, antes de morrer no lago. Jason fica atordoado pela visão do menino. Percebam como a pureza da criança incomoda o Mal. E percebam também que o Mal (Jason) um dia foi uma criança cheia de pureza. Daí decorre que o Bem deve ser sempre vigilante, pois nele mora a raiz do Mal. Nada diferente do que se ouve na Igreja aos domingos.

 

.: Aproximadamente 67 personagens morreram durante Sexta-feira 13 Parte VIII, ambientada em Nova Iorque. É a maior contagem de cadáveres em um filme da série. Não à toa, elementos mais fervorosos da Igreja a chamam de “Sodoma e Gomorra” dos tempos modernos. Sintomático…

 

.: Ao iniciar a redação deste post, meu contador de visitas estava em 3 mil, quatrocentos e…13 visitantes!!!

 

Enfim, esta é a verdade. Se um dia meu cadáver aparecer varado por uma motoserra em uma floresta, vocês já sabem de quem é a culpa.

Anúncios

11 thoughts on “Sexta-feira 13 : instrumento da Igreja Católica?

  1. A virgem é a representaçao da Virgem Maria, e a criança é o menino Jesus!! Não foi ela que derrotou a “serpente”?

    Você tem ótimas ideias e escreve muito bem. Adoro ler seu Blog.

  2. Cara tu pega dois filmes de Jason e traça uma teoria?
    Jason é cine trash, que permeou minha adolescencia, assisti a todos, e os primeiros, até o VI, em que havia alguma sequência no enredo, que são os menos piores, são suficientes para desfazer sua trama de quem tem problemas religiosos.
    Jason mata indiscriminadamente na mesma epoca do ano em vingança a morte de sua mãe. Em alguns filmes os primeiros mortos não são drogados ou loucos por sexo, mas pessoas comuns, transeuntes.
    Ele sempre mata muito mais jovens pq em Crystal Lake ficava um tipico acampamento de ferias americano segundo o enrendo, além de várias casas de veraneio, o que atraia pilhas de jovens para lá.
    Fazer sexo, beber e até usar drogas é prática comum entre jovens, ainda mais americanos na decada de 70 e 80, Jason não os matava por suas atitudes, e sim por cruzar o caminho dele. Ele ja matou até paraplegico. Ele só não matava crianças porque ele era criança qd a mãe morreu e ficou sozinho.
    Por fim nem sempre a pessoa que sobrevivia era uma mulher certinha. Também alguns homens jovens sobreviveram a ele, fazendo “par romantico” com uma mulher.
    As mensagens subliminares existem em Jason sim: não use drogas, não faça sexo, não se aventure. Cada cena de prazer é cortada bruscamente por um assassinato. É esta formula que tornou tolerável a produção em série de filmes trashs nos EUA, um país de maioria protestante, em que os defensores da moral e bons costumes viam como modo de imbuir seus conceitos de certo e errado entre os não-protestantes.

  3. Franklin,

    Você jura que levou a sério o meu texto? Relaxa, divirta-se, entre na brincadeira. Os filmes permearam minha adolescência tbm, pq tinham td q eu gostava: sexo, violência (não ao mesmo tempo, claro) e um megavilão. Mas de vez em quando eu me permito brincar com as coisas; mesmo as q eu gosto. 😉

  4. que nada, o Jason era só um barbeiro que se acidentou ao fazer(raspar) a barba, e para não ferir nehum cliente ele quer afiar a navalha em um bom couro, e sai a procura por aí, e testa em jovens de que ninguém sente falta… só que o curo das vítimas, er digo, cobaias, ohuw, voluntários, não é bom o suficiente, o que leva a falecimento, o caso da virgem, é que, o que está azedo, estraga com tudo…

  5. muito bom cara ótimo mesmo!sem contar que a igreja catolica matou,eu acho 10.000vezes mais que jason! valeu Fernando Olieira.HAAA me responda tambem aqui ou no meu e-mail,quero dizer no e-mail da minha esposa.

  6. Pingback: Feliz Sexta-Feira 13 pra Todos Nós!!! | No Topo da Renda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s