7 tipos de coisas pelas quais tenho que agradecer nos últimos 29 anos

Esse post mata 3 baratas com uma chinelada só:

1. O post do meu aniversário;
2. Preencher a seção “7 Tipos”, que só tem um textinho;
3. Responder ao meme do Roberto Machado, que sugeriu lá no blog dele que postássemos sobre nós.

Hoje faço 29 anos. pra quem quer me conhecer um pouco, tenho uma página autobiográfica nesse blog. Mas acho que seria legal fazer uma lista das coisas que mais me beneficiaram nesses 29 anos.

Ah: considero minha família e minha noiva hors-concours nessa lista, então eles não entram, ok?

1. Playboy

Ah, tu me tornastes homem!!!! Em teu nome ergui diversos templos, de tuas sacerdotisas tornei-me seguidor, de teu rebanho um adorador…vi minha primeira Playboy com uns 10 anos; se não me engano, era uma antiga (já na época) da Lidia Brondi. O legal da revista foi que ela não somente me estimulou visualmente, mas eu adorava lê-la também. É sério!!! Eu adorava as entrevistas da Playboy. Mas gostava muito mais das mulheres, sem dúvida.

2. Goonies

Das 300 milhões de coisas dos anos 80 que podia citar, nada poderia ser mais seminal que esse filme. Eu me sinto “O” velho quando converso com colegas de trabalho de 22, 23 anos que nunca viram Goonies. Acredito que tenha sido o filme que mais assisti na minha vida e resume muito bem o meu gosto por filmes que exercitem mais o músuclo do faz de conta. E é uma pena que as gerações que vieram depois não abraçaram esse filme. Crianças de 12 anos assistem o shockumentary Ilha das Flores (do Jorge Furtado), enquanto nenhum professor tem a manha de passar Goonies para a classe; preferem estimular a adultização à fantasia, à criatividade.

3. Sociedade Esportiva Palmeiras

É a relação mais duradoura da minha vida, sobrevivendo a todo tipo de tempestades pelas quais um relacionamento passa, e uma relação que nem deveria ter começado: comecei a torcer pelo Palmeiras em uma derrota contra a Inter de Limeira, em 1.986. Mas a SEP sempre foi uma amante instigante, proporcionando alguns dos momentos mais felizes desses 29 anos. O fim da fila, o título da Libertadores, as vitorias contra os rivais…e essa relação me deu alguns ídolos de encher os olhos e o orgulho: Evair, César Sampaio, Marcos, Edmundo, Cléber, Alex, Djalminha, Antônio Carlos, Luiz Felipe Scolari, e etc. etc. Para quem acredita em destino, 3 de abril também é aniversário de Ademir da Guia, maior ídolo da história alviverde.

4. O Menino Maluquinho, Bisa Bia Bisa Bel, Coleção Vaga-lume, O Gênio do Crime, Marcelo Marmelo Martelo…

Foi lendo esses livros e outros que eu comecei a busca por conteúdo de qualidade no que leio e vejo, busca essa que encampo até hoje. Sou muito feliz por ter descoberto esses livros e por ter sido estimulado a lê-los. Não trocaria isso por ser criança nos dias de hoje nunca. A Coleção Vaga-lume foi lida inteira por mim duas vezes, especialmente os livros do Marcos Rey, que me prende até hoje, só que com os livros adultos. É o autor que está há mais tempo comigo, por assim dizer. Um dia escrevo só sobre ele…

5. Internet

Para ninguém dizer que este post está virando uma coleção de lembranças do passado, agradeço muito pela internet, e por ela ter entrado na minha vida somente depois de eu ter construído minha personalidade lendo livros. A internet me deu muitos amigos que dificilmente eu teria, me deu surpressas, me deu stress, me deu facilidades, mas no final eu a adoro. Ela me estimula a buscar coisas novas e a escrever, pois é através dela que posso compartilhar toda minha indigência intelectual, rs.

6. Marillion

Eu gosto de muitas bandas, adoro poucas, mas idolatro e mato cabras apenas por uma. Comecei a gostar de Marillion quase que ao mesmo tempo que comecei a gostar de rock progressivo. Até hoje, acho que é a compbinação que melhor representa meu gosto musical: momentos de música mais elaborada, arranjos mais complexos e malabraismos ocasionais misturados com forte senso de melodia, momentos de arrancar os pêlos do braço de arrepio. Foi também o show que mais me marcou, em 1.997 no Olympia. Consigo recitar cada segundo daquela apresentação de cor e salteado. Nem vestibular prendeu tanto minha atenção na vida. Cheguei a ficar 2 horas parado na porta de uma loja, esperando que ela abrisse para comprar um disco, o Brave. De longe, é o disco que provoca as reações mais viscerais em mim. Enfim, fica a homenagem atodos meus artistas favoritos representada pelo Marillion.

7. Meu coração

Sempre achei que meu cérebro sozinho me levaria para onde eu quisesse na vida. Precisei de anos quebrando a cara para descobrir que ele precisava dar uma carona para o coração. Hoje eu sinto com a mesma intensidade que penso, e faço tudo que gosto, e como gosto. Se nao gosto, dou um jeito de gostar. Eu me considero uma pessoa ruim durante parte do tempo, mas a minha parte boa é boa demais, e disso eu tenho orgulho.

Para o meme ficar completo, faltou minha foto. Voila:

rodrigo.jpg

Anúncios

6 thoughts on “7 tipos de coisas pelas quais tenho que agradecer nos últimos 29 anos

  1. Bacana cara… algumas dessas coisas tbm passaram pela minha vida… os goonies eu vi, mas nao na mesma época que vc =P… lia a serie vaga-lume no colegio… so nao gosto do parmera…hehehehe

    Abração e felicidades! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s